• Privacy Policy
  • DMCA
  • Impressum

Novos detalhes sobre a repentina morte de Kobe Bryant vieram à tona

Em 26 de janeiro de 2020, o astro da NBA Kobe Bryant, sua filha de 13 anos, Gianna, e outros sete indivíduos perderam a vida em um chocante acidente de helicóptero. Após dois anos, enquanto as famílias seguiam sofrendo pela perda de seus entes queridos, surgiram mais detalhes sobre aquela tragédia. Essas informações revelam mais acerca dos momentos finais de Kobe e o que provavelmente causou a queda da aeronave que tirou sua vida. Nisso, ficamos sabendo também das terríveis ações de alguns funcionários do condado de Los Angeles.

Aqueles que se foram

Os que estavam naquele fatídico voo foram: Kobe e Gianna; John, Keri e Alyssa Altobelli; Sarah e Payton Chester; Christina Mauser; e Ara Zobayan. Payton Chester e Alyssa Altobelli eram colegas de equipe de Gianna no time de basquete feminino do condado de Orange, Mauser era a treinadora assistente e Zobayan era o piloto. O voo decolou às 9h06, no entanto, um relatório do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes expôs em fevereiro de 2021 que as condições se encontravam particularmente ruins naquele dia.

Antes

Zobayan chegou a entrar em contato com as pessoas que organizaram os planos de viagem de Kobe na noite anterior ao voo. De acordo com as mensagens de texto descobertas pelo Conselho Nacional de Segurança nos Transportes, o piloto falou à equipe de Kobe que o tempo "não estava dos melhores". Pela manhã, porém, ele mandou uma mensagem: "Deve ficar tudo bem". Assim, o voo prosseguiu conforme planejado. O Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles e o Departamento de Polícia de Los Angeles, contudo, deixaram seus helicópteros em solo por causa das nuvens baixas e do nevoeiro.

Naquele dia

O voo começou como esperado, embora a limitada visibilidade tenha forçado Zobayan a ficar abaixo das nuvens enquanto voava acima do caminho da I-5. Então, quando a aeronave se aproximou de Glendale, os controladores do Aeroporto de Hollywood Burbank a colocaram em circuito de espera por 11 minutos. Às 9h32, eles concederam a autorização de voo para continuar sob regras especiais de voo visual. O problema é que o helicóptero caiu 13 minutos depois disso.

Nas nuvens

Por volta das 9h44, Zobayan avisou pelo rádio a uma torre de controle próxima que estava subindo acima das nuvens a 1.200 metros. Foi a última comunicação que ele fez. Ao que parece, a aeronave só conseguiu subir cerca de 487 metros. A partir daí, inclinou-se para a esquerda e rapidamente começou a perder altitude. Em seguida, colidiu com as colinas ao redor de Calabasas.