• Privacy Policy
  • DMCA
  • Impressum

Teste de DNA pode finalmente ter resolvido o mistério do antigo “Sudário de Turim”

Muitos acreditam que o sudário de Turim retrata a face real de Jesus Cristo, logo após seu sepultamento. Isso o torna uma das relíquias históricas mais cobiçadas que o homem conhece. Mas é verdadeiro, ou é um fake habilidoso da Idade Média? Bem, embora um estudo analisasse amostras de DNA retiradas do sudário, os resultados podem apenas ter aumentado o mistério ao redor deste suposto antigo artefato religioso.

Envolto em mistério

O Sudário de Turim é uma peça simples de tecido de sarja que mostra sinais de sangue e uma sutil impressão de um corpo humano. E milhares de pessoas visitam o sudário todo ano para ver o objeto que, supostamente, cobriu o corpo martirizado de Jesus antes da Ressurreição.

Uma rica lenda

O sudário em si, é parte de uma rica lenda de proporções bíblicas. Afirmava-se que tinha sido retirado da tumba de Jesus Cristo e levado da Judeia para a Turquia, e depois para Constantinopla. Lá, teria sido guardado e protegido por séculos.

Uma surpresa inesperada

Depois, em 1353, o sudário surgiu numa pequena igreja em Lirey, França. Como ele foi parar lá, não se sabe. E a Igreja Católica reconheceu publicamente sua existência quando apareceu nesse local improvável.

Datando o sudário

Finalmente, nos anos 1980, a Igreja permitiu que o sudário fosse examinado. Um grupo de cientistas usaram radiocarbono para analisar o tecido, concluindo que o sudário foi produzido entre 1260 e 1390. Isso sugeria que o sudário era uma farsa engenhosa e elaborada, o que causou irritação.